Icabode – Da mente de Cristo à Consciência Moderna

Vivemos um tempo de desobediência. Não necessariamente por uma rebelião, mas por afrouxamento dos valores ou por falta de zelo com a Palavra de Deus. A rebelião moderna se dá “naturalmente”, no campo ideológico, travestida de senso crítico.

Em Icabode, Rubem Amorese mostra as três forças da modernidade e seu efeito devastador sobre a igreja: a pluralização (o império das diferenças), a privatização (o império das indiferenças) e a secularização (o império dos sentidos).

A igreja vê-se diante de uma nova realidade ameaçadora, mas que tem uma característica peculiar e incomum: não se trata de um inimigo, pelo menos no sentido em que os outros mostraram-se na história. Trata-se mais de um aliado que oferece vários recursos considerados imprescindíveis para o avanço do evangelho. É exatamente aí que mora o perigo. Ao criar uma nova atmosfera de possibilidades e realizações, tira da igreja a capacidade de discernir os acontecimentos à sua volta. E devagar, sem que ela perceba, vai minando suas bases, até comprometer sua identidade.

Tivesse Eli ouvido o aviso de Deus a respeito de seus filhos, Icabode (“foi-se a glória de Israel”) não teria sido seu neto órfão. É preciso ler Icabode, antes que Icabode sejamos nós.

Créditos : Mazinho Rodrigues


Últimos comentários
  1. admin 22 de agosto de 2011
  2. Pablo 19 de agosto de 2011
  3. Antonio Carlos Martins Navarro 18 de agosto de 2011
  4. antonio carlos martins navarro 25 de Março de 2011
  5. BILLY 10 de Março de 2011

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *